8 de jun de 2016

O homem que não se irritava


 Em cidade litoranea havia um homem que não se irritava, e não discutia com ninguém; sempre encontrava saida cordial, não feria a ninguém nem se aborrecia com as pessoas, morava em modesta pensão onde era admirado e querido. Para testá-lo um dia seus companheiros combinaram a levá-lo à irritação e a discursão numa determinada noite, que o levaria a um jantar, trataram todos os detalhes com a garçonete qua seria reservada para atender a mesa na ocasião, assim iniciou o jantar. Como entrada foi servida uma saborosa sopa, que o homem gostava muito. A garçonete chegou próximo a ele pela esquerda e ele prontamente levou seu prato para aquele lado, afim de facilitar a tarefa, mas ela serviu todos os demais mas quando chegou a vez dele foi embora para outra mesa, ele esperou calmamente e em silêncio esperando que ela voltasse.
    Quando ela se aproximou outra vez, agora pela direita para reconher os pratos ele levou outra vez seu prato em direção da jovem, que novamente se distanciou ignorando-o. Após servir todos os demais passou rente a ele acintosamente, com a sopeira fulmegante, exalando um soboroso aroma como quem tinha concluido a tarefa e retornou a cozinha.
   Naquele momento não se ouvia qualquer ruido todos observaram discretamente para ver sua reação, educadamente ele chamou a garçonete, que se voltou, fingindo impaciência ela disse:  O que o senhor deseja? Ao que ele respondeu naturalmente: A senhora não me serviu a sopa. Novamente ela respondeu para provocá-lo desmentindo-o: Servi, sim, senhor. Ele olhou para ela, olhou para o prato vazio e limpo, e ficou pensativo por alguns segundos, todos pensaram que ele ia brigar, suspense e silêncio total, mas o homem surpreendeu a todos, ponderando tranquilidade ele respondeu: A senhorita serviu sim, mas eu aceito um pouco mais. Os amigos frustrados por não conseguir fazer ele se irritar com a moça, terminaram o jantar, convencidos de que nada mais faria com que aquele homem perdesse a compostura.
    Bom seria se todas as pessoas agissem com discernimento em vez de reagir com irritação e impensadamente. O protagonista de nossa história não estava preocupado com quem estava a razão, e sim evitar as discursões desgastantes e improdutivas, quem age assim sai ganhando sempre, pois não se desgasta com emoções que podem provocar sérios problemas de saúde ou acabarem em desgastes. Muitas brigas surgem motivadas por coisas tão simples e fácies de serem resolvidas, mas se avolumam e se inflamam com o calor da discursão, isso porque algumas pessoas tem a tola pretensão de não levar desaforo pra casa, mas acabam levando-o para a prisão ou pro hospital ou até mesmo para o cemitério. Por isso é importante aprender a arte de não se irritar, de deixar por menos, ou encontrar uma saída inteligente como fez o homem no restaurante.
     Lembre-se sempre o que está escrito no livro de Provérbios 15:1 A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. Portanto responda com muita cautela, sabendo que o que você irá responder pode causar uma das duas situações, uma pode dessas reações pode ser positiva fazendo com que todos consiga viver em harmonia, ou pode ser uma reação negativa fazendo que se aumente mais a ira. Ainda no livro aos Romanos 12:18 diz: Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens. Ainda no livro aos Hebreus 12:14 diz:Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; sabemos que ter paz não significa ausência de tribulação, mas ter tranquilidade em momentos de tribulações. Pode ter certeza absoluta, embora seja muito difícil manter  a paz em algumas situações, saiba que é possível manter a paz, não se esqueça Jesus é o Príncipe da Paz, e nele você pode encontrar a paz de quanto precisa, somente Jesus pode te dar paz em sua alma por isso o salmista diz: Salmos 42:5 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. Salmos 42:11 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.