Voltando para a verdade numa época de Mentiras Texto: 2 Cr 32:1

Por Pastor Nilton Jorge


   Introdução: Quantos de nós já não ouvimos ou até falamos expressões como: Essa é a sua verdade, não a minha; Tudo é relativo; ou para aquela época e cultura isso era verdadeiro.

 1) Por trás dessas afirmações, via de regra estão três conceitos: a) Subjetivismo: Para o subjetivismo, a validade da verdade está limitada ao sujeito que conhece e julga. Toda certeza é pessoal, visto que toda a verdade é subjetiva. b) Relativismo: Para o relativismo, os conceitos considerados verdadeiros são produtos dos valores de uma época, de uma cultura, de um povo. Assim, toda verdade é relativa a uma época, grupo ou cultura. c) Pragmatismo: Como sistema de pensamento, o pragmatismo parte de uma concepção de que o homem não é essencialmente um ser teórico, com preocupação transcendente, antes a sua inteligência está voltada para a concretização dos seus propósitos, que são eminentemente práticos; por isso, todo o conhecimento tem um objetivo prático. No pragmatismo, o que importa é a funcionalidade. O correto é aquilo que funciona e satisfaz. Assim, o valor intrínseco foi substituído pela eficácia; ou seja, se funciona tem valor; as idéias verdadeiras são as que funcionam, são valiosas. Deste modo, não existem absolutos, tudo é relativo.

 2) Partindo desses princípios é que surgem outros conceitos: Até mesmo entre nós de verdades relativas, verdade de cada um e assim por diante. A verdade como sendo o que é não pode ser relativizada, a verdade é o que é. A nossa percepção é que varia.

 3) Eis um grande exemplo Ezequias. Seu nome significa: Deus é minha força. Em uma época de grandes mentiras, ele se volta para a verdade e promove uma grande reforma em todo o país. 

   Vejamos algumas lições de sua vida. 1) SENSO CORRETO DE PRIORIDADE (2Cr 29:3,9-10,36). O contexto.
 a) As loucuras de Acaz. Ezequias começou a reinar com 25 anos, reinando 29 anos, isto por volta do ano 729 a.C O seu pai, Acaz, havia reinado 16 anos, deixando-lhe uma herança de comprometimento com a Assíria e uma religião totalmente corrompida. A pregação de Isaias não demoveu Acaz de sua falta de fé em Deus e de sua idolatria. Deus o entregou na mão dos seus inimigos, que guerrearam contra ele: 1) Os Sírios 2) Reino Norte de Israel 3) Edomitas 4) Filisteus. Então buscou ajuda em Tiglate-Pilese III, rei da Assíria, que num primeiro momento foi-lhe útil; no entanto, custou-lhe isso um grande preço; tendo que pagar a proteção com despojo, inclusive da Casa do Senhor. Assim Acaz sobrevive como vassalo da Assíria, pagando-lhe pesado tributo e sem resolver o seu problema. Acaz bem, impressionado com o poderio da Assíria, perdeu o resto de bom senso. 1) Queimou alguns de seus filhos como sacrifícios ao deus pagão. 2) Fechou a Casa do Senhor. 3) Copiou um altar conforme o modelo de Damasco, para construir em Jerusalém, tendo o próprio rei oferecido sacrifício ao deus pagão. b) Por onde começar: a Reforma de Ezequias. Foi um reino assim que Ezequias encontrou. Caótico e por onde começar é a questão. Há inimigos externos, e um moral extremamente baixo no povo. A idolatria imperava, as guerras foram constantes, o templo fechado, o que priorizar: Reconstruir a cidade que fora destruída pela guerra! Pagar as possíveis dívidas políticas! Explicar sua nova política para o país! O que ele deveria priorizar? (2 Cr 29:3-5). 1) abriu as portas da Casa do Senhor e as reparou. 2) ordenou aos Sacerdotes e Levitas a santificação. 3) ascendeu a lâmpada do templo. 4) sacrificou ao Senhor. 5) fez uma aliança com Deus. 6) Celebrou a Páscoa. 7) restabeleceu o culto a Deus. 8) quebrou a serpente de bronze. Obs: Em 16 dias o templo estava em condições para o povo adorar. Ezequias teve senso de prioridade; 

  2) COMPREENSÃO CORRETA DO CARÁTER DE DEUS (2 Cr 30:7-9,18-19). Ezequias poderia fazer toda uma reforma em Judá por motivações equivocadas: Poderia fazer uma pesquisa de campo e indagar o tipo de religião que o povo queria. Poderia fazer uma religião da maioria, um culto dos moldes de seu pai. Uma administração populesca. No entanto ele decide dar primazia a Deus e à sua casa. Ezequias conhecia a Deus, compreendeu corretamente o caráter de Deus. Nas cartas que enviou às diversas tribos de Israel, Ezequias revelava conhecer o caráter de Deus, por isso fez uma reforma espiritual com bases sólidas. a) Deus não tolera o pecado (2 Cr 30:7,8). b) Deus é misericordioso e compassivo (2 Cr 30:9). c) Deus é bondoso e Perdoador (2 Cr 30:9,18-19). Vejamos o versículo 20 “sarou a alma do povo” tem também, o sentido de perdoar pecados (2 Cr 7:14). A nossa perspectiva de Deus determina a nossa relação com Ele; se mantemos uma fé distante, uma visão pequena, uma vida cristã medíocre, um culto apagado, uma pregação sem vida e uma adoração sem coração e entrega de vida é porque não o conhecemos. 

  3) INTEGRIDADE DE CORAÇÃO (2 Cr 31:20,21). Biblicamente o coração é – especialmente no A.T o centro vital de nosso pensar, sentir e fazer; portanto, quando diz que Ezequias realizou todas as coisas “de todo o coração” (2 Cr 31:21), significa que agiu com integridade. O que é integridade? O que significa ser integro? A benção de sermos íntegros. A integridade produz prosperidade.

   CONCLUSÃO: Dentro de um culto relativista e pragmático, onde a Palavra é apenas usada como pretexto, não existe lugar para absolutos morais e espirituais; os dez mandamentos, o sermão do monte, e as ordenanças doutrinárias apostólicas desaparecem, este tipo de culto só serve para alimentarmos nossos desejos pecaminosos. Deus nos deu sua Palavra para que o conheçamos. Toda ética da vida só funciona se está baseada no caráter de Deus.

FONTE: Blog Pastor Nilton Jorge