A Reconciliação com o Pai

“Mas tu és nosso Pai, ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; tu, ó Senhor, és nosso Pai; nosso Redentor desde a antiguidade é o teu nome”.
Is 63:16

Hoje quero te contar uma história. Uma história usada por Jesus para nos ensinar uma grande lição.

É a história de um homem que tinha dois filhos. Mas um dia, o mais novo resolveu pegar tudo que ele tinha e ir embora. Ele disse: "Papai, quero ir embora e preciso de dinheiro, quero tudo que é meu, quero a parte da minha herança". O pai ficou muito triste, e falou: "Porque você quer ir embora filho? O filho respondeu dizendo que queria ir embora porque já havia se cansado daquela casa.

O pai mesmo com pesar, deixou ele ir. Enquanto o filho caminhava pela estrada, o pai encheu os olhos de lágrimas, ele estava muito triste.

O tempo passou. E todos os dias o pai olhava com esperança a estrada, esperando seu filho voltar. Ele não perdia as esperanças. Mas o filho nem pensava nisso. Ele estava gastando o dinheiro em festas, farras, com mulheres, fazendo coisas que ele nem precisava. Ele pagava a conta dos amigos, e todo mundo gostava de ficar perto dele. Só porque ele tinha muito dinheiro.

Mas um dia o dinheiro acabou. E aquele país onde ele estava, se encontrava em uma crise e muita fome. E seus amigos logo foram embora. E ele ficou sozinho e com muita fome.

Aí ele pensou, preciso encontrar um emprego, mas a única coisa que eu sei fazer é cuidar de animais. Então ele conseguiu um emprego para cuidar de porcos numa fazenda. Olha onde ele foi parar, logo ele que tinha tudo. Deve ter sido muito difícil. E ele sentia tanta fome, que queria comer a comida dos porcos, mas não podia.

Foi aí, que ele caindo em si, disse: "Os trabalhadores de meu pai tem pão com fartura, e eu aqui morrendo de fome".

E ele decidiu, e voltou para sua casa. Vinha ele ainda longe quando seu pai o avistou, e mesmo sujo, fedido, mal vestido, seu pai correu e o abraçou e o beijou. E seu filho disse: "Pai, não sou digno de ser chamado mais seu filho, trata-me como um de seus trabalhadores".

Mas o pai não deu atenção, e disse a seus servos: "Trazei a melhor roupa e vesti-o, traga seu anel, sandálias para seus pés, e matem um novilho e fazei um banquete, porque meu filho que estava morto, reviveu".

            Lógico que você conhece essa história, é a história do Filho Pródigo. Eu quis te contar ela de uma maneira diferente hoje, uma história simples, conhecida, mais que retrata o mais puro evangelho.

Sabe, irmãos, esse Pai é nosso Deus, e nós, somos seus filhos.

Mas em algum momento de nossa caminhada, cansamos, sentimos vontade de chutar o pau da barraca, e chutamos, assim nos afastamos de nosso Pai, atraídos pelas as ilusões do mundo, cedemos. Cuidado com as ilusões do mundo, cuidado com aquilo que parece ser bom, mas é passageiro, caminho de morte.

Você vai trocar o cuidado do seu Pai, os braços dEle, por um mundo perdido, podre, ilusório?

É isso que o diabo quer, te atrair, te tirar dos braços do teu Pai, pra no final de dar comida de porcos.

Porque trocamos um banquete que nosso Pai nos tem preparado por comida de porcos? Porque insistimos em sermos teimosos, e se deixar seduzir por prazeres do mundo, pra no final sermos motivo de chacota do diabo.

Porque não agradecemos e desfrutamos aquilo que nosso Pai nos dar, porque somos como filhos pródigos? Porque só pensamos nas dificuldades? E não lembramos que nosso Pai tem cuidado de nós, nos alimentado, nos provido, nos dado abrigo. Devemos ter cuidado para não nos tornamos filhos pródigos.

Mas sabe, Deus te trouxe a ler esse texto porque hoje é dia de reconciliação com o Pai. Volta filho, volta para os braços do teu Pai

Chega de falsos amigos. Chega de ilusões. Chega de desejos passageiros. Chega! Chega de comida de porcos. É hora de desfrutar do banquete que ele te preparou.

Ele não está preocupado com seu cheiro, com seu estado, não, Ele te quer te volta. Ele te ama, Ele quer te restituir!

Seu pai físico pode ter te decepcionado, te magoado, você pode ter tido um pai ausente e que te deixou marcas, mas tem um Pai amoroso e de braços abertos te esperando.

Volta pra ele, vem de volta pra casa do Pai, o dia é hoje. ELE TE ESPERA!

Autor: Natannael Mesquita, diácono, intercessor, apaixonado pela a Palavra de Deus e autor do Blog Desembainhar a Espada.