887' type='text/javascript'/

24 de jun de 2017

AD Ferreira


  No final dos anos 40, o irmão Antônio da Silva e esposa, que tinham aceitado a Jesus, no bairro de Vila Gomes, ofereceram sua residência, à Av. Gioia Martins, no bairro do Ferreira, para a realização de cultos. O ponto de pregação que funcionava na casa de irmãos na Vila Gomes, passou a funcionar ali. Os primeiros irmãos que ali congregaram foram Antônio da Silva e família, Pedro Policarpo e esposa, Osvaldo José da Silva e família, Hildo José da Silva e família, Marcílio Justo Domingues e família, João Leal e família, Eliza Galvane Borguette e família, Palmira Ferro Amado e família, Maria Bueno e família, e outros.
   A obra cresceu e o espaço ficou pequeno para acolher tantas famílias convertidas, por isso foi construído um salão de alvenaria de 35 m2 no terreno de propriedade do irmão Antônio, que foi inaugurado no ano 1951. A congregação permaneceu nesse local por cerca de 13 anos, onde se desenvolveu com a chegada de outras famílias e muitos que se convertiam.
   O Pr. Alfredo Reikdal, enviou alguns obreiros para cooperarem no trabalho. Vieram os irmãos: Pedro Tavares, Manoel Garcês, Domingos Porto, o diácono Emílio e sua esposa irmã Carmela, que tocava violino louvando a Deus. Essa irmã foi quem ensinou as primeiras notas musicais, vindo, posteriormente o irmão João Francisco, conhecido como “João do Coro”, que foi o professor de música do Ferreira, sendo ele o fundador do Coral “Grata Nova” e da Banda de Música, que hoje é nossa orquestra.
   No final dos anos 50, o salão da Av. Prof. Gióia Martins ficou pequeno demais porque o número dos que se convertiam não parava de crescer. Foi quando o Pr. Alfredo Reikdal, ouvindo o clamor dos irmãos do ferreira, comprou uma tenda de mais ou menos 190 m2, que foi armada em um terreno alugado na Av. Prof. Francisco Morato esquina com a Rua Manoel Jacinto, no bairro de Vila Sônia, onde permaneceu somente por algumas semanas.
   Nessa época, “o inimigo”, vendo que o evangelho pregado estava levando muitas almas a Cristo, usou um de seus “obreiros da impiedade”, que incendiou a tenda, da qual só restaram cinzas. Mas o inimigo não conseguiu intimidar o povo de Deus, que mesmo sobre as cinzas da tenda, dirigiram o último culto naquele lugar, cantando louvores a Deus, alegrando-se com Sua Santa presença e agradecendo–lhe pelo ocorrido.
   Com isso ficaram mais encorajados e saíram a procura de um lugar onde poderiam reunir-se. Deus então, preparou um salão, um pouco menor do que a tenda, na Rua Manoel Jacinto. Com o tempo o Pastor Alfredo Reikdal, vendo a dificuldade de espaço e o dinheiro gasto com o aluguel, determinou que se procurassem um terreno para comprar, onde se pudesse construir um templo.
   Foi encontrado um terreno no bairro Ferreira, na Av. Prof. Francisco Morato, que media 1.200m2. O negócio foi fechado com a autorização do Ministério do Ipiranga, terminando assim o primeiro desafio. O segundo era a construção do templo. A construção foi realizada sob o sistema de mutirão, sob a supervisão do irmão Benedito da Cruz, que era o mestre da obra e membro da igreja na época. Um grande obstáculo foi a falta de recursos financeiros, pois o Ministério do Ipiranga também estava em fase de construção do seu templo sede.
   Para solucionar esse problema foi vendido mais da metade do terreno comprado; e assim, no começo do ano de 1960 deu-se início à construção do primeiro templo, cuja área construída foi em torno de 192 m² (um salão de 12 x 16 m). Em 1962 já tínhamos vários candidatos para o batismo, e o Pastor Alfredo, autorizou que fosse improvisado um tanque batismal, e assim foi celebrado o primeiro batismo, pelo Pr. Ezequias Ribeiro (in memorian), vice-Presidente do Ministério do Ipiranga, na época. Foram batizados entre outros, os irmãos: Milton da Silva, na época com 16 anos e Carmo Amado, 15 anos.
   O dia 25 de Dezembro de 1964, com muitas dificuldades, foi inaugurado a primeira fase do templo, que ainda estava sem portas, vitrôs, forro, e com bancos cedidos pela sede no Ipiranga, que foram trazidos na véspera, sob um rigoroso temporal. Vários Pastores lideraram a obra nessa época, os quais são: Pr. Dutra, Presbítero Albino, Presbítero Sadraque, Presbítero Levino, e Pastor Gumercindo, atual vice-presidente do Ministério do Ipiranga.
   Em 14 de Agosto de 1968, a direção da Igreja em Ferreira passou para o Pr. Antônio Pinto Cavalcanti, vindo de Bauru juntamente com outros pastores, entre eles o Pr. Edgar Souza Brito. O Pr. Cavalcanti fundou então o Ministério em Ferreira e o presidiu até sua morte em 1985. A partir desta data o Pr. Edgar Souza Brito, passou à frente do Ministério. Hoje, pela bondade de Deus, estamos completando 53 anos do templo e 49 anos como Assembléia de Deus Ministério do Ferreira.