Total de visualizações de página

AD Perus



Por Maxwell Fajardo *

   O Ministério de Perus é atualmente um dos ramos da Assembleia de Deus que mais tem aberto congregações em diferentes locais do país. O Ministério conta atualmente com cerca de 1100 congregações espalhadas por 23 estados do Brasil e mais 17 outros países.

   Com sede no bairro de Perus, periferia de São Paulo, o Ministério completará em 2012 seu 66º aniversário de fundação. Apesar do grande número de congregações e abrangência no território nacional, o Ministério de Perus nunca recebeu grande atenção na historiografia oficial assembleiana, embora o nome de seu fundador, Benjamin Felipe Rodrigues tenha aparecido com veemência durante os debates convencionais da 1ª Assembleia Geral Extraordinária da CGADB em 1989, quando os pastores e evangelistas do Ministério de Madureira foram desligados da Convenção Geral.

   O Pr. Benjamin assumiu a igreja na região de Perus em 1950. Na época de sua chegada, a igreja resumia-se a um pequeno salão onde se reuniam não mais que duas dezenas de pessoas. O trabalho era uma congregação do Campo de Madureira em São Caetano do Sul.
Pr. Benjamim (à esquerda): líder da AD ministério de Perus


   A partir da atuação de Benjamin a igreja expandiu-se no bairro e novas congregações foram abertas, recebendo por parte do Ministério de Madureira a autonomia de campo em 1959. Além de estender-se pelo bairro, a expansão do Campo de Perus alcançou as cidades vizinhas de Franco da Rocha, Francisco Morato, Mairiporã, Caieiras e Campo Limpo Paulista, não demorando chegar a cidades do interior de São Paulo e outros estados, começando pelo Paraná e Mato Grosso do Sul.

   Na década de 1980 o Campo de Perus entrou nos debates convencionais da CGADB a partir de mais um dos já antigos debates sobre a “invasão de campos eclesiásticos”. O debate começou a partir da abertura de uma congregação por parte do Campo de Perus na cidade de Cuiabá, região onde atualmente está um dos maiores templos do Ministério do Belém no Brasil. A abertura da igreja em Cuiabá veio como uma gota d’água nas já tumultuadas relações do Ministério de Madureira com a CGADB, motivando inclusive a convocação da 1ª Assembleia Geral Extraordinária da Entidade, quando o Pr. Benjamin foi descredenciado dos quadros da Convenção (Daniel, 2004: 527).

   O Ministério de Madureira demonstrou solidariedade ao Pr. Benjamin, provocando a reação da Mesa Diretora com o desligamento dos ministros de Madureira do quadros da Convenção, provocando a primeira grande cisão na história da Assembleia de Deus brasileira.
   Mesmo após a cisão, Pr. Benjamin não parou de abrir novas igrejas em diferentes cidades brasileiras. Presidiu o Campo de Perus até 2002, quando faleceu após uma longa luta contra diversos problemas de saúde. Foi substituído por seu vice-presidente, Pr. Elias Cardoso, que permanece até hoje à frente da igreja.

   O Campo de Perus continuou ligado ao Ministério de Madureira até 2006, quando, criou sua própria Convenção, passando a denominar-se Ministério de Perus.

   * Maxwell Fajardo é Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo. Doutorando em História pela UNESP. Professor de história na rede pública municipal de São Paulo. Ministro do Evangelho e professor da Escola Bíblica Dominical na Igreja Assembleia de Deus.
Referências: 
                             
DANIEL, Silas. História da Convenção Geral das Assembleia de Deus no Brasil. Rio de Jaeiro: CPAD, 2004

FAJARDO, Maxwell Pinheiro. Pentecostais, migração e redes religiosas na periferia de São Paulo: um estudo do bairro de Perus. Dissertação de Mestrado em Ciências da Religião. Universidade Metodista de São Paulo: São Bernardo do Campo, 2011

Conselho Nacional de Missões da Assembleia de Deus Ministério de Perus: http://www.conampe.com.br . Acesso em 1º Maio de 2012