ARTIGOS GOSPEL

Crer para alcançar

 Agora um homem estava doente, Lázaro de Betânia, a aldeia de Maria e sua irmã Marta. Maria foi quem ungiu o Senhor com óleo perfumado e enxugou os pés com os cabelos; foi seu irmão Lázaro que estava doente. Então as irmãs mandaram dizer a Jesus: “Mestre, aquele que você ama está doente”. Quando Jesus ouviu isso, ele disse: “Esta enfermidade não deve terminar na morte, mas é para a glória de Deus que o Filho de Deus pode ser glorificado através dele. ”Agora Jesus amava Marta e sua irmã e Lázaro. Então, quando ele ouviu que ele estava doente, ele permaneceu por dois dias no lugar onde ele estava. Então, depois disso, ele disse aos seus discípulos: “Voltemos para a Judéia”. Os discípulos disseram-lhe: “Rabino, os judeus estavam apenas tentando apedrejá-lo, e você quer voltar para lá?” Jesus respondeu: “São não há doze horas por dia? Se alguém anda durante o dia, ele não tropeça, porque ele vê a luz deste mundo. Mas se alguém anda à noite, tropeça, porque a luz não está nele. ”Ele disse isso e depois lhes disse:“ Nosso amigo Lázaro está dormindo, mas eu vou despertá-lo ”. Então os discípulos disseram a ele: “Mestre, se estiver dormindo, será salvo.” Mas Jesus estava falando de sua morte, enquanto eles pensavam que ele queria dizer o sono normal. Então Jesus disse claramente a eles: “Lázaro morreu. E eu estou feliz por você que eu não estava lá, para que você possa acreditar. Vamos para ele. ”Então Tomé, chamado Dídimo, disse a seus companheiros discípulos:“ Vamos também morrer para com ele ”. se ele estiver dormindo, ele será salvo. ”Mas Jesus estava falando sobre sua morte, enquanto eles pensavam que ele queria dizer o sono normal. Então Jesus disse claramente a eles: “Lázaro morreu. E eu estou feliz por você que eu não estava lá, para que você possa acreditar. Vamos para ele. ”Então Tomé, chamado Dídimo, disse a seus companheiros discípulos:“ Vamos também morrer para com ele ”. se ele estiver dormindo, ele será salvo. ”Mas Jesus estava falando sobre sua morte, enquanto eles pensavam que ele queria dizer o sono normal. Então Jesus disse claramente a eles: “Lázaro morreu. E eu estou feliz por você que eu não estava lá, para que você possa acreditar. Vamos para ele. ”Então Tomé, chamado Dídimo, disse a seus companheiros discípulos:“ Vamos também morrer para com ele ”.
   Quando Jesus chegou, ele descobriu que Lázaro já estava no túmulo por quatro dias. Agora Betânia estava perto de Jerusalém, apenas cerca de dois quilômetros de distância. E muitos dos judeus tinham ido a Marta e Maria para confortá-los em relação ao irmão deles. Quando Marta ouviu que Jesus estava vindo, ela foi ao encontro dele; mas Maria sentou-se em casa. Marta disse a Jesus: “Senhor, se você estivesse aqui, meu irmão não teria morrido. Mas mesmo agora sei que tudo o que pedires a Deus, Deus te dará. ”Jesus disse-lhe:“ O teu irmão se levantará ”. Marta disse-lhe:“ Sei que ele ressuscitará na ressurreição do último dia. Jesus disse a ela: “Eu sou a ressurreição e a vida; Quem crer em mim, mesmo que morra, viverá e todo aquele que viver e crer em mim nunca morrerá. Você acredita nisso? ”Ela disse a ele:“ Sim, Senhor. Eu vim a acreditar que você é o Cristo
   Quando ela disse isso, ela foi e chamou sua irmã Mary secretamente, dizendo: “A professora está aqui e está perguntando por você.” Assim que ouviu isso, ela se levantou rapidamente e foi até ele. Pois Jesus ainda não havia chegado à aldeia, mas ainda estava onde Marta o conhecera. Então, quando os judeus que estavam com ela na casa que a confortava viram Maria se levantar rapidamente e sair, eles a seguiram, presumindo que ela estava indo ao túmulo para chorar lá. Quando Maria chegou ao lugar onde Jesus estava e o viu, ela caiu a seus pés e disse-lhe: “Senhor, se você estivesse aqui, meu irmão não teria morrido.” Quando Jesus a viu chorando e os judeus que tinham vindo com ela chorando, ele ficou perturbado e profundamente perturbado, e disse: “Onde o colocaste?” Eles disseram: “Senhor, vem e vê”. E Jesus chorou. Então os judeus disseram: “Veja como ele o amou”. Mas alguns deles disseram:
   Então, Jesus, perturbado novamente, chegou ao túmulo. Era uma caverna e uma pedra estava sobre ela. Jesus disse: “Leve a pedra”. Marta, a irmã do falecido, disse-lhe: “Senhor, agora haverá um mau cheiro; ele está morto há quatro dias ”. Jesus disse a ela:“ Eu não lhe disse que, se você crê, verá a glória de Deus? ”Então eles tiraram a pedra. E Jesus levantou os olhos e disse: “Pai, eu te agradeço por me ouvir. Eu sei que você sempre me ouve; mas por causa da multidão aqui eu disse isto, para que eles possam acreditar que você me enviou. ”E quando ele disse isso, ele clamou em alta voz:“ Lázaro, sai! ”O homem morto saiu, amarrado mão e pé com faixas de enterro, e seu rosto estava envolto em um pano. Então Jesus disse-lhes: "Desata-o e deixa-o ir."
   Agora muitos dos judeus que tinham vindo a Maria e visto o que ele tinha feito começaram a acreditar nele.
   “Senhor, se você estivesse aqui, meu irmão não teria morrido.” Por que coisas ruins acontecem a pessoas boas? De todas as perguntas que podem abalar nossa fé, esta é mais difícil. Sabemos pelas escrituras que Deus é amor, que promete justiça e misericórdia a Seus filhos. No entanto, cada um de nós pode nomear um ou mais membros da família ou amigos em quem a infelicidade profunda desceu em algum momento, apesar de sua óbvia bondade e falta de malícia. Como pode um Deus amoroso ser possível se essas pessoas boas sofrem e choram ainda mais do que o resto de nós?
   Ao longo das escrituras, encontramos pessoas de fé lutando com essa questão. O Livro de Jó, talvez um dos mais antigos escritos da Bíblia, foca quase inteiramente nessa questão do sofrimento dos justos. Jó fica amaldiçoado com várias aflições e lamenta seu sofrimento. Seus três amigos, tentando reconciliar a contradição, assumem que Jó deve ter pecado muito e incitar-lhe a se arrepender - um julgamento pelo qual Deus exige arrependimento no final, e somente através de Jó como intercessor Jó 42: 7-9. Sua esposa exorta Jó a "amaldiçoar a Deus e a morrer", a desistir de sua fé no Senhor. Jó se recusa a admitir que pecou, ​​não se comprometeu ou a rejeitar a Deus.
  A questão se repete ao longo das escrituras, diretamente nos Evangelhos. As autoridades daquele tempo tinham assumido que as doenças eram a justiça de Deus imposta aos pecadores - e essa visão não era apenas detida pelos que estavam no poder. Na semana passada, lendo João 9: 1-41, Jesus e os discípulos encontraram um homem cego de nascença, e os discípulos presumiram que sua aflição era uma maldição de Deus pelos pecados de alguém. Eles perguntaram: “Rabino, que pecou, ​​esse homem ou seus pais, que nasceu cego?” Jesus responde: “Nem ele nem seus pais pecaram; é para que as obras de Deus sejam visíveis por meio dele ”.
   Jó recebe uma resposta semelhante do Senhor, embora menos diretamente; Deus diz a Jó: “Onde você estava quando eu estabeleci as fundações do mundo?” No jargão de hoje, é tão bom quanto dizer: “Está acima do seu salário”. O Senhor desdobrou o universo em grandes épocas de tempo de acordo com Sua planejar a salvação final de todos, de nossa própria escolha, para afastá-lo. Justiça e misericórdia nesta vida nunca podem ser aperfeiçoadas porque somos os mordomos deste mundo e somos imperfeitos. Jesus nos lembra disso em Mateus 5:45, quando Ele nos incita a orar até mesmo por aqueles que nos perseguem a fim de nos tornarmos filhos de Deus. "Ele faz nascer o seu sol sobre o mal e o bem e envia chuva sobre os justos e os injustos."
   Vemos Jesus experimentando a tristeza dessa situação mais especialmente quando se trata da morte de seu amigo Lázaro. Jesus vê essa morte da mesma forma que o cego que Ele curou, ou do sofrimento de Jó - a vontade de Deus e uma oportunidade para fortalecer a fé do Seu povo e se preparar para o próprio sacrifício de Jesus. Ele diz aos discípulos: "Estou contente por você que eu não estava lá, para que você possa crer".
   Mas Jesus está longe de se alegrar com o sofrimento de seus amigos em Betânia. Maria e Marta choram por Lázaro, e ambas oferecem uma leve repreensão em sua dor: “Senhor, se você tivesse estado aqui, meu irmão não teria morrido”. Isso ecoa o refrão em nossos corações quando confrontado com o mal irreconciliável e sofrimento no mundo. mundo, e ecoa ainda mais quando o sofrimento se aproxima de nós. Se Deus fosse real, essas tragédias não existiriam.
   Ainda assim, tanto Maria como Marta expressam sua fé em Jesus em sua dor. Marta diz a Jesus que ela entende que Lázaro ressuscitará no último dia e testificará sua verdadeira natureza como o Messias. Mas, em vez do Deus um tanto distante que vemos no Livro de Jó, em vez disso, vemos um Cristo muito pessoal que chora o sofrimento conosco. Jesus se torna visivelmente “perturbado e perturbado”, e depois chora ao ver os amigos de luto e a família de Seu amigo - apesar de saber que Lázaro logo surgirá e a alegria retornará a seus rostos. Jesus então chama Lázaro dos mortos, exclamando em voz alta que Ele faz isso em nome do Pai, cumprindo a promessa em nossa primeira leitura de Ezequiel 37. “Então saberás que eu sou o SENHOR, quando abrir tuas sepulturas e levantai-vos deles, ó meu povo!
   Este não é um Deus distante e imperioso; essa passagem revela Deus como pessoal como amigos e familiares. Jesus chora por nós em nosso luto, em nosso estado decaído e mundo caído. A Palavra de Deus veio para nos libertar do nosso pecado e sofrimento, e Jesus a experimenta pessoalmente antes mesmo da Paixão. Depois que Ele chora, Jesus chama Lázaro para fora do sepulcro como Seu último milagre antes de vir a Jerusalém, um presságio do que virá para todos nós que crermos - quando o choro e o luto cessarem, e chegarmos à vida eterna com o Senhor.
   Podemos não obter uma resposta completa disso porque coisas ruins acontecem a pessoas boas, mas a carta de Paulo aos Romanos sugere que a questão em si é irrelevante. “Aqueles que estão na carne não podem agradar a Deus”, escreve ele, “mas vocês não estão na carne; pelo contrário, você está no espírito, se apenas o Espírito de Deus habita em você ”. Somos chamados a viver a vida no espírito, e não a carne, e é por isso que oramos pelos nossos inimigos e também pelos nossos vizinhos. e permaneça na fé através de perseguições e pragas. Jó viveu no espírito e perseverou na fé, mesmo enquanto seus amigos o encorajavam a confessar pecados que ele não havia cometido e sua esposa exigiu que ele cometesse apostasia em seu sofrimento. Maria e Marta viveram no espírito e perseveraram na fé, mesmo enquanto lutavam com a morte chocante de seu irmão.
  Como filhos de Deus, devemos também chorar o sofrimento e o luto, e fazer o que podemos para aliviá-lo, especialmente quando parece mais sem sentido. Mas podemos perseverar na fé vivendo no espírito, sabendo que este mundo acabará por passar por outro e depositando nossa confiança no Senhor para nos elevar à verdadeira alegria nele.
Crer para alcançar Crer para alcançar Reviewed by Pastor Ivo Costa on setembro 13, 2018 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.