O grande amor de Deus




ESTUDO BÍBLICO 1 JOÃO 2.1-15 

“1 Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. 2 Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo. 3 Sabemos que o conhecemos, se obedecemos aos seus mandamentos.4 Aquele que diz: "Eu o conheço", mas não obedece aos seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. 5 Mas, se alguém obedece à sua palavra, nele verdadeiramente o amor de Deus está aperfeiçoado. Desta forma sabemos que estamos nele: 6 aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou. 7 Amados, não lhes escrevo um mandamento novo, mas um mandamento antigo, que vocês têm desde o princípio: a mensagem que ouviram. 8 No entanto, eu lhes escrevo um mandamento novo, o qual é verdadeiro nele e em vocês, pois as trevas estão se dissipando e já brilha a verdadeira luz. 9Quem afirma estar na luz mas odeia seu irmão, continua nas trevas. 10 Quem ama seu irmão permanece na luz, e nele não há causa de tropeço.11 Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas; não sabe para onde vai, porque as trevas o cegaram. 12 Filhinhos, eu lhes escrevo porque os seus pecados foram perdoados, graças ao nome de Jesus. 13 Pais, eu lhes escrevo porque vocês conhecem aquele que é desde o princípio. Jovens, eu lhes escrevo porque venceram o Maligno. 14 Filhinhos, eu lhes escrevi porque vocês conhecem o Pai. Pais, eu lhes escrevi porque vocês conhecem aquele que é desde o princípio. Jovens, eu lhes escrevi, porque vocês são fortes, e em vocês a Palavra de Deus permanece e vocês venceram o Maligno. 15 Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.”



INTRODUÇÃO: Quando o assunto é o amor de Deus, há dificuldade de dimensionar, pois sua maior prova foi a entrega do seu próprio filho, Jesus Cristo, para perdão do pecado da humanidade, conforme João 3.16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.
   Em sua carta universal, o apostolo João também faz menção do sacrifício da cruz e do consequente perdão propiciado por ele, mas orienta também com relação a conduta diante do pecado dos que receberam este amor de Deus.
   Em sua orientação, o apostolo deixa claro a necessidade de reciprocidade do ser humano em relação ao amor de Deus, por isso é preciso entender como se pode amar a Deus, de acordo com o versículo 15 “Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.”




                                                                Conduta de vida 

   Aquele que conhece a Deus, deve guardar seus mandamentos e sua palavra e deve andar como ele andou, isso será a prova de que estará na verdade, de que o amor de Deus está nele aperfeiçoado e está em Deus. Em outras palavras o chamado é para ser testemunha do amor de Deus, refletido nas atitudes e forma de viver. Veja Atos 1.8, “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser- me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”



                                                                   No amor com o próximo. 

   Outro aspecto essencial na vida daquele a qual ama a Deus é o amor ao próximo. O apostolo deixa claro que aquele que aborrece seu irmão está e anda em trevas, por outro lado aquele que ama seu irmão está na luz, e nele não há escândalo. O chamado de Jesus é para viver em amor com todos aqueles a volta, é mandamento. Veja João 15.17 “Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.”
Sofrimento pelo amor do Evangelho.
   Diante do tamanho do amor de Deus, ninguém deve recusar sofrer pelo evangelho. Mesmo em épocas e lugares onde se tem liberdade de servir a Deus, ninguém estará livre de adversidades ou perseguições, veja 1 Pedro 4.12-13 “Amados, não se surpreendam com o fogo que surge entre vocês para os provar, como se algo estranho lhes estivesse acontecendo. Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria.”
   É preciso ter a mesma disposição de mártires como o Apostolo Pedro, conforme menciona John Fox*, “Hegessipo diz que Nero procurava fatos contra Pedro para condená-lo à morte. Quando o povo percebeu isso, rogaram a Pedro, com muita insistência, para que ele fugisse da cidade. Pedro no fim foi persuadido pelos importunos pedidos e preparou-se para a fuga. Porém, ao chegar ao portão da cidade, viu o Senhor Jesus Cristo vindo ao seu encontro, a quem Pedro, adorando, disse: — Senhor, para onde vais tu? — Ao que Ele respondeu dizendo: — Estou voltando para ser crucificado. — Assim Pedro, percebendo que com essas palavras o Senhor se referia ao martírio do qual ele estava fugindo, voltou para a cidade. Jerônimo diz que ele foi crucificado, com a cabeça para baixo e os pés para o alto a pedido dele mesmo porque era — disse ele — indigno de ser crucificado do mesmo modo e jeito como o fora o Senhor.”
   Ou ainda como os mártires de hoje, servos de Jesus ao quais se entregam por amor ao Evangelho, colocando este acima de todas as coisas, sendo rejeitados até mesmo por suas famílias, mulheres sendo expulsas por seus maridos de casa por não aceitarem sua conversão e até mesmo ameaçando-as de morte.
______________________________________ *John Fox, O Livro dos mártires, página 21,22.




Conclusão: Diante das implicações de amar a Deus, as quais são: conduta de vida, amor ao próximo e sofrer pelo evangelho é preciso se posicionar em todas as áreas da vida.
Como você pode demonstrar seu amor por Deus?

Bom Estudo!