ARTIGOS GOSPEL BRASIL

A luz é boa

“E Deus viu a luz que era bom, e Deus separou-se entre a luz e entre as trevas.” Gênesis 1: 4
A luz é o princípio e a referência da criação de Deus porque através da luz nós percebemos, concebemos, compreendemos e assimilamos cada traço, dimensão e aspecto da criação. Na ausência de luz, simplesmente não podemos viver na essência verdadeira e verdadeira de tudo o que está fora e dentro de nós.
A luz como metáfora nos revela a natureza das trevas, aquilo que oculta a luz. Nesse sentido, na verdade, tudo é luz que percebemos totalmente revelada ou oculta na escuridão. Portanto, cabe a nós revelar a luz, e essa escolha é de fato a principal que Deus nos ensina, quando lemos na Torá como Ele fez a criação.
A luz é a primeira lição que o Criador de tudo quer que aprendamos e abrace como princípio fundamental que devemos implementar em todas as dimensões da consciência. Dizemos isso porque, como já mencionamos, é claro que a luz é o princípio e a referência para revelar e descobrir a verdadeira essência da criação de Deus que inclui cada um de nós.
A luz se desdobra e leva à compreensão, à sabedoria e ao conhecimento, guiando nosso discernimento para a “clareza” sobre algo, a fim de “esclarecer” sua razão e propósito na vida. Assim, entendemos que a luz é boa, porque é o fundamento para dizer a diferença entre a bondade e aquilo que ou oculta, nega, rejeita ou até combate a bondade.
É assim que entendemos a luz como o oposto da escuridão. A luz como discernimento torna-se a premissa e referência para dizer a diferença entre o que é claro como positivo e o que é escuro como negativo.
“A luz brilhará em seus caminhos.” Jó 22:28
Numa abordagem prática, a luz é, de fato, a verdade que estamos destinados a perseguir e entronizar em todos os aspectos da consciência, e essa verdade é o que o Criador nos ensina a perseguir como a referência e a escolha que pretendíamos nos tornar.
Neste sentido, a luz é a razão da criação de Deus, e a luz é o propósito da vida, porque é a bênção da vida. Somos abençoados quando a luz está em nós, conosco e por nós.
Sejamos plenamente conscientes de que a luz é o primeiro e mais importante princípio da criação de Deus que precede o restante de Sua criação. Deus nos criou a partir de Sua luz para nos ensinar que somos leves para sermos luz e vivermos na luz, e o único propósito das trevas é percebermos o que é a luz.
O amor de Deus nos criou com o livre arbítrio, que exige algo diferente da luz para reconhecê-lo e apreciá-lo. Isto é o que queremos dizer quando dizemos que a escuridão, o mal e a negatividade são referências e não escolhas, porque a escolha real é a luz como bondade e qualidades positivas.
Por isso, faz perfeito sentido que Deus chama a luz boa, e também faz perfeito sentido para nós buscarmos a luz como a bondade que vemos e experimentamos nos caminhos e atributos do amor, porque estes estão contidos na bondade da luz de Deus que também é O amor de Deus em sua forma divina abstrata.
À medida que Deus molda Sua criação, aprendemos como Ele se relaciona com ela, e isso define para nós Seus caminhos e atributos que devemos abraçar em nossa consciência. Este é o significado de ser criado à Sua imagem e semelhança, porque estas são as maneiras pelas quais Ele se revela a nós. Portanto, nossa essência e identidade são definidas como a imagem e semelhança que Ele declara duas vezes na Torá.
“E Deus disse: 'Façamos o homem à nossa imagem, à nossa semelhança' ... E Deus criou o homem à Sua imagem; na imagem de Deus Ele o criou; homem e mulher os criou. ”Gênesis 1: 26-27
Isso é docemente reafirmado ao infundir Sua própria essência, Sua respiração, dentro de nós.
“E o Senhor Deus formou o homem do pó da terra, e Ele soprou em suas narinas a alma da vida, e o homem se tornou uma alma vivente.” 2: 7
Deus é a fonte de toda a vida, e esta é a nossa maior bênção, porque Ele é a bênção.
“E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: 'Frutificai e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a ...” 1:28
Este mandamento revela que nós, como Suas criaturas dotadas da vida que vem dEle, também somos dotados para gerar vida. Então, o propósito da vida é criar vida e expandir a vida. Veja neste blog nossos comentários sobre a parashá Bereshit: “Haja Luz!” De 6 de outubro de 2015 e “In the Beginning” de 14 de outubro de 2014.
Através da vida, enchemos a Terra como o campo da realidade material que também somos ordenados a subjugar em todos os seus aspectos e expressões. Sejamos conscientes de que o mundo material possui qualidades particulares que o tornam diferente das outras dimensões da criação de Deus.
Deus construiu o mundo material com regras diferentes dos mundos não-materiais, e sob essas regras somos ordenados a encher a terra e subjugá-la.
Em um significado mais profundo, estamos ligados às forças da natureza e aos níveis de consciência que compreendem intelecto, mente, pensamento, emoções, sentimentos e instinto, que somos ordenados e destinados a subjugar com o propósito de vida sob a direção de nosso Criador. .
“Agora o Senhor Deus tomou o homem, e Ele o colocou no jardim do Éden para operá-lo e guardá-lo.” 2:15
A vida humana tem um propósito divino no qual temos que trabalhar para cumprir tal propósito.
“E Deus viu tudo o que tinha feito, e eis que era muito bom, e já era tarde e era manhã, o sexto dia.” 1:31
A vida, assim como toda a criação, é muito boa, e por isso temos que protegê-la, temos que protegê-la. A bondade é algo em que temos que trabalhar e nos proteger. Neste contexto, o jardim do Éden representa as qualidades “muito boas” da vida em nossa consciência, que devemos construir e proteger como a bondade da luz revelada a nós no mundo material.
Nós lemos esta primeira parte da Torá, e em seus versos vemos a bondade de Deus e a bondade de Suas obras. Percebemos que a causa da criação de Deus é a bondade para o propósito da bondade, como uma expressão do Seu amor para o propósito do amor. Essa é a identidade que Deus cria para sermos bons para honrarmos ser Sua imagem e semelhança.
Deus nos diz em Sua Torá que nós viemos Dele, de Sua luz, de Seu amor, e de Sua essência Ele soprou em nós para nos fazer viver e experimentar a bondade de Sua criação. É quem somos e o que estamos destinados a experimentar e a cumprir.
O amor de Deus tem um propósito, e o amor como sua manifestação material também tem um propósito, que é conhecer a Deus e revelar Sua presença oculta nas trevas que somos ordenados e destinados a dissipar com a luz da qual somos feitos.
Em vez de cair sob as ilusões da escuridão e permanecer preso nelas, vamos despertar para a consciência da luz e do amor como nossa verdadeira essência e identidade.
A luz é boa A luz é boa Reviewed by Pastor Ivo Costa on setembro 22, 2018 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.